Reclamações das empresas de telecomunicação diminuíram neste ano


No mês de setembro já tinham feito um estudo que mostrou uma queda nas reclamações das empresas de telecomunicação do Brasil e, no mês de outubro, a Anatel confirmou esta queda, comparando com a mesma pesquisa realizada no ano de 2016.

De acordo com o estudo, neste ano houve 277,6 mil reclamações contra as empresas de banda larga fixa, telefones móveis, telefones fixos e de televisão por assinatura, o que significa uma diferença de 5,7%, ou seja, 16,9 mil reclamações a menos em comparação com o mesmo período de 2016. O setor que teve maior diferença foi o de telefonia móvel, com pouco mais de 16 mil reclamações a menos, seguido da telefonia fixa, com uma diferença de 2,4 mil queixas e a televisão por assinatura teve uma queda de 200 reclamações.

Já os clientes de internet banda larga fixa demonstraram descontentamento com os serviços, pois as reclamações tiveram um aumento de 2 mil queixas. Quanto as operadoras de telefone móvel, a Vivo teve a maior queda de reclamações, com uma redução de 9,6 mil, a Claro com menos 2,4 mil, a TIM com menos 2 mil e a Oi com menos 900 reclamações. Entre as empresas de TV por assinatura, somente a Oi teve menos queixas, enquanto o grupo Net/Claro tiveram um aumento de 1,9 mil queixas, a Vivo com 200 e a Sky com 100 reclamações a mais.

Em relação aos tipos de serviços oferecidos, na telefonia móvel pós-paga, a maior reclamação foi das cobranças com 49,2%, depois as ofertas e promoções com 9,6%, seguidos da qualidade, funcionamento e reparo com 9,2%. Na telefonia fixa a cobrança também foi o serviço com mais queixas, com 41,1% das reclamações, depois a qualidade, reparo e funcionamento com 20,76% e cancelamentos com 7,8% das reclamações.



COMPARTILHAR