Vírus nos smartphones cresceram 40% neste ano.


Com o crescimento da tecnologia, cada vez mais aparelhos celulares estão disponíveis no mercado, o que também reduz o valor de muitos, tornando possível a maioria da população adquirir um celular do tipo smartphone. Desta forma, muitos de nós disponibilizamos dados valiosos de nossas vidas em um aparelho com iOS, Windows Mobile ou Android.

Esta atitude de guardar todos nossos dados em smartphones é muito perigosa, já que, segundo uma pesquisa feita pela empresa Avast, 20% de todos os dispositivos IoT não tem a proteção necessária e correm risco de ataques cibernéticos no país. Sendo o Brasil um dos países que tem mais vulnerabilidade em relação aos ataques como WannaCry, por exemplo. Ainda de acordo com a pesquisa da Avast, comparando os mesmos períodos do ano passado e deste ano, houve um aumento de 40% nos ataques aos smartphones no Brasil.

O estudo também mostrou que são três os tipos de ataques mais comuns: o rooters com 22,8%, droppers/downloaders com 22,76% e os aplicativos falsos com 6,97% de ataques. Em cada mês, são feitos, aproximadamente, 788 novos tipos de vírus, sendo que nos meses de abril a junho deste ano, houve um aumento de 22,2% nos ataques aos aparelhos celulares em relação aos mesmos meses do ano de 2016.

Para evitar qualquer transtorno com seu celular, evite deixar fotos íntimas, dados particulares e informações importantes como documentos e senhas salvos em seu smartphone, além de baixar um antivírus e evitar abrir qualquer documento ou aplicativo que não conheça a origem em seu aparelho.



COMPARTILHAR